06 setembro 2006

Roteiro#1 - Bodas de Papel

Bodas de Papel

PERSONAGENS
Arthur – 33 anos, um homem bonito.Exato como as equações,homem de negócios, tem ar de superioridade.
Branca – 30 anos, mulher romântica, inteligente, luta pela independência. Pintora e artista plástica de considerável sucesso.

CENÁRIO
Sala de um apartamento de classe média.

Objetos cênicos:
Quadros contemporâneos pendurados na parede.
Peças de obras de arte.
Muitas dobraduras de papel (barcos, pássaros, flores, por toda sala).
Algumas velas acesas espalhadas pela sala
Mesa com o jantar posto.


Arthur e Branca estão comemorando um ano de casados. Ela prepara um jantar muito especial, tudo para uma noite perfeita se não fosse pela indiferença de Arthur, que sequerlembra da data.
Decepcionada e muito magoada ela acaba confessando que o traiu com seu melhor amigo criando um clima de sofrimento e libertação.

CENA 1. SALA DE ARTHUR E BRANCA / INTERIR / NOITE
ARTHUR ABRE A PORTA DO APARTAMENTO ENCONTRANDO AS LUZES APAGADAS E ALGUMAS VELAS ACESAS ESPALHADAS PELA SALA. CAMINHA DEVAGAR TATEANDOE PROCURANDO A TOMADA.

ARTHUR :(NORMA)
_ Meu Deus, o que está acontecendo aqui? (T) Ih! Já sei, a distraída da Branca deve ter esquecido de pagar a conta de luz. Também pudera, vive no mundo da lua, transpira arte, só pensa em cor e forma...

ARTHUR ACHA A TOMADA, ACENDE A LUZ E DÁ DE CARA COM BRANCA COM OS BRAÇOS CRUZADOS ENCOSTADA NA PAREDE.

BRANCA: (ÁSPERA/CÍNICA)
_ Por que será que você não entende o óbvio? Nossa quanta oquidão.

ARTHUR:(SEM SABER O QUE ESTÁ ACONTECENDO)
_ O que é isso ? Você aí parada no escuro toda agressiva ?(CÍNICO) Ah, já sei como é Mesmo este estado que você se encontra. (T) lembrei (PAUSADAMENTE) T.P.M.

BRANCA:(MEIO IRRITADA E IRÔNICA)
_ T.P.M.? A única coisa que você consegue lembrar de mim é dá T.P.M.? Ah,já sei! É porque na minha T.P.M., queeu falo tudo que penso de você.

ARTHUR:(CONSTRANGIDO)
_ Espera aí : Jantar à luz deVelas, o que são esses papéis dobradinhos ?.


BRANCA:( IRRITADA E DECEPCIONADA )
_ Não, nada em especial. É que eu acordei com vontade de explodir e fiz esse jantarzinho para gente. Aliás,eu estou explodindo por dentro faz tempo. Estou explodindo de carência,de solidão, de insatisfação. (T) E você não consegue nem perceber o que acontece comigo !. Sinceramente, eu não sei se você é cego ou é burro.

ARTHUR:(CONFUSO)
_ O que está acontecendo com você? Cego ? burro ? O queé, você enlouqueceu ?

BRANCA:( GRITANDO )
_ Eu te traí...

ARTHUR: (INDIFERENTE)
_ Deixa de besteira, Você não tem perfil de mulher que trai. Se bem que não sei o perfil de uma mulher que trai, mas tenho certeza que não é o seu. Eu sempre fui seu grande amor.
BRANCA:( BAIXINHO )
_ Grande amor? Sua autoconfiança, não te deixa enxergar um palmo a frente do seu nariz.

ARTHUR:(CHEIO DE SI)
_ Por que, não sou o grande amor da sua vida ? O grande não, o único, eu tenho certeza disso. Agora meu amor,vamos jantar vai. Vamos deixar essa discussão pra lá.

BRANCA:( NERVOSA )
_ Deixar pra lá ? Jantar ? Agora quero ir até o fim e nãovai mais ter jantar.Passei o dia preparando o seu prato predileto, fazendo essas dobraduras de papel. Sabe por que fiz essas dobraduras ?Claro que não sabe,é porque se comemora um ano de casado combodas de papel.(T) No fundo sempre quis salvar nossa relação. Mas é bom ver toda sua indiferença com meus sentimentos. É bom porque assim o meu remorso vai se esvaindo como água que se escorre ralo abaixo.(T) Quer saber por que sinto remorso ? (ESCORRENDO PELA PAREDE E SENTANDO NO CHÃO, MUITO EMOCIONADA) Por que te traí com o Marcos. (T) Pois é, o Marcos seu melhor amigo, seu amigo de infância.

ARTHUR:( DESACREDITADO)
_ Como é que você coloca alguém que já morreunessa sua vingança pessoal? Sem falar na crueldade. O que você quer ? Lançar a sementinha da dúvida na minha cabeça ? Com meu melhor amigo que nem está mais entre nós para se defender? .

BRANCA
_ Ele não se defenderia, sabe por quê ? Porque ele era um homem de verdade. Sabe que ele nunca esqueceu uma data ? Comemoramos tudo antes dele morrer. (SE ABRAÇA) Como sinto falta dele!! Ele foi o oxigênio para que eu suportasse toda essa sua ambição, toda sua indiferença (T) não foi só uma traição , foi uma fuga para o meu sofrimento e um resgate para minha alma. E saiba que sou feliz por ter vivido tudo isso.
(PEGA UMA DAS DOBRADURAS E COMEÇA A DESFAZER)
Está vendo esta dobradura?
Agora que eu desmanchei é só uma folha em branco, toda marcada pelas dobras. Assim é o nosso casamento, como uma folha em branco, sem história e por mais que desfaçamos os maus entendidos , as marcas jamais serão esquecidas.

ARTHUR TAMBÉM ESCORREGA PELA PAREDE SENTANDO NO CHÃO, COMO SE UM TRATOR TIVESSE PASSADO POR ELE.


*** FIM ***

3 comentários:

FRANCISCO MALTA disse...

Os diálogos estão bons,mas achei as intençoes muito explicadas.Isso deve estar explicito ou no texto ou no subtexto.
abs
FM

FRANCISCO MALTA disse...

Os diálogos estão bons,mas achei as intençoes muito explicadas.Isso deve estar explicito ou no texto ou no subtexto.
abs
FM

Marcel Dias Pitelli disse...

Leonardo,

Gostei da forma como você deu início ao roteiro, descrevendo o cenário e as personagens, sobretudo seus sentimentos ao longo dos diálogos.

Por outro lado, achei que faltou algo ao desfecho para que fechasse com chave de ouro.

Você tentou explorar uma metáfora com a idéia da dobradura e acho que a idéia foi legal. Mas acho que podia ter ido mais longe.

Fosse você, teria dito que cada uma das dobraduras continham palavras. Que eram cartas de amor que Branca e o amante haviam trocado entre si durante todo aquele tempo. E agora que ele revelou isso ao marido, ela poderia tê-las aberto uma a uma em sua cara.

Ou quem sabe, um diário pessoal: Hoje meu marido me deixou esperando. Hoje, o sexo foi horrível. Hoje, ele fingou que não me viu. Hoje, ele foi um desgraçado, quero matá-lo.

Faltou isso, entende?

Eu não sei muito sobre roteiros, mas adoraria se um dia você pudesse me explicar.

Abração!