06 setembro 2006

Roteiro#8 - É do Brasil...

È... do Brasil!

Personagens:
MARIDO: entre 25 e 30 anos. É sacana e esperto.
MULHER: entre 25 e 30 anos. Típica loira burra. Acha que é esperta.

Cenário:
Apartamento Duplex. Uma sala comum, com dois sofás colocados no centro repletos de almofadas.
Uma escada sobe sem intervalos da sala até um mezanino.

Principais objetos:
Várias almofadas.

CENA 01 . APARTAMENTO . INTERIOR . NOITE

MULHER
(OFF e gritando)
Cachorro, canalha; seu mulherengo!

Esposa joga uma almofada tentando acertar o marido no alto do mezanino. Está completamente irritada e desvairada enquanto Marido demonstra estar impassível.

MARIDO
(com voz macia)
Calma, meu anjo. Você entendeu tudo errado. Eu não estava agarrando a Laura, só estava tirando umas bolinhas de pelo do casaco dela.

MULHER
Tirando bolinhas do casaco dela? Seu galinha; seu mentiroso! Tirando bolinhas da frente do casado agarrado pelas costas dela? Não era mais fácil pedir para ela ter tirado o casaco?

Marido começa a descer a escada do mezanino enquanto fala com Mulher.

MARIDO
Você tem toda a razão. Não sei como não pude pensar nisso antes. Não devia ter deixado ela me enganar.

MULHER
Pare por ai mesmo. Não dessa mais nenhum degrau dessa escada. Nos casamos em comunhão de bens, você se lembra? Meio a meio. Metade desse apartamento é meu, e você não vai pisar na parte que me pertence.

MARIDO
Mais meu amorzinho...

Mulher lança em Marido uma outra almofada, fazendo com que ele recue da escada e volte para o lugar onde estava.

MULHER
(INTERROMPENDO O MARIDO)
E não me chame de amorzinho!

MARIDO
Tudo bem, meu anjo. Mais você está se precipitando. Nem mesmo falou com um advogado!

MULHER
Não preciso falar com advogado nenhum! Sei exatamente dos meus direitos e você vai cumpri-los direitinho.

MARIDO
(TENTANDO ACALMAR MULHER)
Vamos fazer o seguinte. Amanhã nos vamos conversar com nosso advogado e resolver isso da melhor maneira. Você vai ver que essa sua idéia de divórcio é só passageira, assim como foram as outras.

MULHER
(grito forte e estridente)
AAAAAAAHHHHHHHHH!!!!!!!!!!

Mulher lança em Marido três almofadas ao mesmo tempo.

MARIDO
Tudo bem, eu concordo com o divórcio, está bem? Só me deixa descer as escadas e sair pela porta. Só tenho mais dez minutos para subir até o apartamento do Paulo antes de começar o jogo...

MULHER
Saia pela janela e suba pelas paredes. Aposto que sua mão tá grudando mais do que a do homem-aranha depois de você ter agarrado aquela melosa da Laura.

Marido mostra feição de irritado e vai até a escada, descendo aos poucos cada degrau enquanto fala com Mulher.

MARIDO
(PERDENDO UM POUCO A PACIENCIA)
Olha, escuta. Primeiro: a escada está entre a parte de cima e a parte de baixo do apartamento, então tanto eu quanto você podemos passar por ela. Segundo: prometo que nunca mais vou cair nos planos da Laura pra tentar nos separar. Terceiro: o jogo das semifinais do Brasil já está começando. E isso significa três coisas: Uma: que não se pode perder uma partida de semifinal do Brasil na Copa; Duas: o Paulo já tirou a cerveja do freeser e ela já está perdendo o gelo; Três: o Marcão vai dar um churrasco no terraço depois do jogo. Resumindo: Ninguém faz sexo melhor do que você!

Marcos está em frente à Mulher e lhe dá um sensual selinho na boca. Coloca ela de lado e sai pela porta.
Mulher está com a almofada apertada contra o peito. Dá mordiscadas sensuais em seus lábio e um sorriso sacana. Sai andando pela sala como uma mocinha apaixonada pegando no chão algumas almofadas jogadas e arrumando-as no sofá.
Senta no sofá olhando para o nada, dá um suspiro de prazer e afunda-se ainda mais no sofá, se escondendo entre as almofadas. Ouvimos alguns gemidos de prazer.


*** FIM ***

Um comentário:

Marcel Dias Pitelli disse...

Leonardo,

Eu achei sem nexo. Depois do que ele fez, vir com essas desculpas esfarrapadas e falar em sexo, e ela o perdoar assim facil, com um selinho. Ele trocar a discussão por uma cervejinha; uma visão um tanto machista da realidade, mas respeito.

Por outro lado, gostei porque foge de tudo o que já vi. Qualquer roteiro nessa linha pediria um homem que seria expulso de casa ou quem sabe a mulher atiraria as coisas dele pela janela.

Inevitável como os casais se reatam por mais que as evidências provem que os relacionamentos não mais devem perdurar. A carência veio para ficar mesmo. Os valores da contemporaneidade são muito estranhos e acho que você explorou isso sabiamente.


Abraços